domingo, 8 de março de 2009

PUDERA!!!

Dema


O quadro do artista sem sucesso é o que me comove. Vendo nele o nada, sinto a angústia do pintor com o fracasso.
É no fracasso que os homens se igualam, que cada um se sente humano, imperfeito.
A tela sem sucesso é como minha música, a sua, inéditas para sempre; um violão, que soluça louco por mostrar do que é capaz, nas mãos de um principiante.
A música é igual poesia, tal qual pintura... a do disco que gira mas não fura.
É como a vida: quem sabe um fracasso, quem sabe um sucesso!

Pudera houvesse mais mudanças,
corresse o tempo mais veloz,
fosse a vida mais curtinha
e o fracasso menor!
Pudera houvesse quadros sem artistas,
houvesse homens sem fracasso!

Um comentário:

Dema disse...

Afonso Cavalcanti cavalcanti disse:

Gostei de seu escrito, Ademar. A alma humana tem guardado nela o que denominamos valor. Nas suas expressões poéticas pairam valores. Acostumo dizer aos meus alunos que a pessoa humana que tem princípios fundamos na tridimensionalidade ética (o justo, o verdadeiro e o belo), esta respira aliviada quando põe para fora seus sentimentos. Percebi que em seus dotes de poeta e de escritor residem sensibilidade e entendimento de um excelente pensador. Quem pensa bastante, sem dúvida, expressa o melhor de sua alma. O que li em seu blog é uma profunda expressão que me emociona e me envaidece por ser seu amigo e companheiro de colegial e de filosofia e agora pela vida. Um abraço grandioso a você e também à sua esposa, pois hoje é o dia dela. Afonso.